Home Escola da Vida - 2º Temporada Nada é mais insuportável que o tédio

Nada é mais insuportável que o tédio

2 min leitura
1
0
262

O filósofo, físico e matemático francês Pascal (1623-1662) dizia: “Nada é mais insuportável para o humano que ficar alheio a tudo, sem tarefas, sem distrações, sem aplicação, sem paixões. Domina-lhe uma sensação de vazio, de impotência, e cai em melancolia e tédio”. O tédio e a depressão são marcas indeléveis das nossas sociedades atuais. É um estado de mal-estar difícil de ser combatido porque tendemos a crer erradamente que podemos atacá-lo com simples sensações de prazer ou entretenimento ou alegria passageira. O problema é que os prazeres não extinguem a dor do tédio, porque quem está com tédio e depressão sofre muito e experimenta um profundo vazio emocional. Como enfrentar essa angústia? Não há receita pronta e universal. Faya Viesca, citando Critilo, que é um personagem de Baltasar Gracian, dizia: “O tédio crônico é a morte em vida; é a dor da vida não vivida, dos caminhos não explorados, dos riscos não assumidos, das pessoas não amadas, dos pensamentos não pensados, dos sentimentos não experimentados. É a dor surda das possibilidades que condenamos, é a timidez e os temores que não vencemos”. Como não há receitas universalizantes, só nos resta refletir sobre tudo isso. Avante!

  • Dan Herman

    Uma pessoa ENTEDIADA é alguém infeliz, com tendência a desenvolver sintomas patológicos que trazem grandes prejuízos à vida, tais como a ansiedade, depressão, insensibilidade ou indiferença com relação aos desafios da ESCOLA DA VIDA.

    A grande maioria dos brasileiros não sabe como usar efetivamente o tempo livre (a generalização aqui deve ser enfatizada). Muitos não se importam de ficar em filas quilométricas desnecessariamente e até tentam “MATAR O TEMPO”. Na verdade, estão tentando inconscientemente MATAR O TÉDIO. Esta é a preocupação maior de quem assim age.

    O TÉDIO PODE SER EVITADO DE 2 MANEIRAS: (1º) positivamente, sendo produtivo e útil para a sociedade; ou (2º) negativamente, fugindo de si mesmo, refugiando-se nos muitos caminhos de fuga oferecidos pela nossa CULTURA DE MEDIOCRIDADE, uma corrida frequente em busca de diversão e prazer.

    A corrida interminável pela diversão e prazer dos nossos dias serve ao propósito de facilitar a fuga de si mesmo e do TÉDIO ameaçador. O consumo de diversões fúteis e entorpecentes serve para que o ENTEDIADO não se dê conta de sua infelicidade. Entre todos os males da existência, há poucos tão penosos como o TÉDIO e, em consequência, tudo se faz para evitá-lo.

    Você sabia leitor/leitora, que dependendo de como utilizamos o nosso TEMPO e do nível de lucidez que apresentamos podemos chegar à idade de 70 anos, mas vivendo efetivamente apenas cerca de 4,7 anos?

    Para aprender outros detalhes extremamente importantes que tornam as pessoas inteligentes mais produtivas e úteis para a sociedade, sugiro a leitura crítica do artigo “IMPORTÂNCIA DA PRIORIZAÇÃO”, disponibilizado em Tópicos Recentes de http://www.salvesequemsouber.com.br

Veja Também

Mindset: nova psicologia do sucesso.