Home Escola da vida - 1º Temporada Pílulas para a alma (3)

Pílulas para a alma (3)

2 min leitura
0
0
133

Luiz Flávio Gomes

 

“No existe nada mais potente que uma ideia cujo momento chegou” (Victor Hugo). Ninguém individualmente muito menos uma nação inteira consegue avançar, progredir, só escutando as vozes do desalento, da tristeza e da desconfiança (de todos contra todos). Nunca conseguiremos enxergar as oportunidades quando carregamos nos ombros o peso do desânimo, do descrédito ou da insegurança. Sempre que sentimos nossa alma rastejando pelo chão, é hora de sacudir a poeira e dar a volta por cima, reconstruindo os caminhos até aí percorridos. Falar dos problemas é bom até certo ponto, depois disso nossa luta só tem sentido quando buscamos soluções, aproveitando ou criando as oportunidades. Há momentos em que temos que substituir nosso sentimento de impotência pela responsabilidade de construir um futuro melhor para nós mesmos e nossas sociedades. “Temos que sair de uma vez por todas, quando caímos no desalento, do poço da frustração, da impotência e da desesperança. Quando uma pessoa [ou uma sociedade] resulta escravizada por essas emoções aflitivas, não pode ver a luz, simplesmente porque só consegue mirar a escuridão” (Alongo Puig).

Veja Também

O “ser” e o “ter”

A cultura contemporânea desenfreadamente dá muito mais valor para o “ter” que para o “ser”…