Home Escola da vida - 1º Temporada Pílulas para a alma (8)

Pílulas para a alma (8)

2 min leitura
0
0
134

Luiz Flávio Gomes

 

As decisões mais relevantes da nossa vida são as que produzem as maiores consequências. Algumas são positivas; outras, negativas. É da natureza humana esperar que as consequências positivas sejam as mais duradouras e mais completas possíveis. E que as negativas sejam as mais rápidas e suaves nas circunstâncias. Sempre esperamos que o bem seja eterno, enquanto o mal seja passageiro (ou que nem aconteça). Se temos que ter cautela com as consequências dos nossos atos, isso significa que a vida nos exige preparação contínua, para tomar as melhores decisões. Como já não temos o Oráculo de Delfos para nos estimular psicologicamente a tomar as decisões mais acertadas, só resta consultar nossas vozes interiores, nossas crenças, nossas convicções, nossa experiência e nossa ética. O cuidado que temos que tomar é o seguinte: toda luz tem sua sombra. Se um dos caminhos possíveis está repleto de brilho, o outro pode nos conduzir à escuridão, à confusão. Fundamental, então, é projetar e, sempre que possível, sentir as sensações possíveis, de serenidade, de paz, de tranquilidade ou de aflição e de conflitos desnecessários. Eliminando-se os ruídos perniciosos das nossas cabeças, as soluções fluirão com mais precisão e confiança. Avante!

Veja Também

O “ser” e o “ter”

A cultura contemporânea desenfreadamente dá muito mais valor para o “ter” que para o “ser”…